Bem-estar

Jardinagem: Uma excelente prática para evitar doenças

Jardinagem

Por mais que a grande maioria das pessoas ainda afirme que o envelhecimento é uma fonte de impactos negativos à saúde, os idosos podem reverter esse quadro com muita sabedoria, cuidados e exercícios. E aproveitar o mês de setembro e a chegada da primavera pode ser um grande passo para quem deseja se ocupar.

Que tal experimentar a jardinagem? Essa prática contribui não só para o bem-estar, mas também sobre o aprendizado com a terra, plantas e flores, o que acaba proporcionando, automaticamente, a sensação de paz e tranquilidade. E isso na melhor idade é essencial.

De acordo com alguns terapeutas ocupacionais, a jardinagem para os idosos previne doenças como depressão, ajuda no combate à inércia e na diminuição de várias dores, principalmente na coluna.

E já que os idosos vivem em uma época onde gozam mais o tempo de lazer, a jardinagem tem um potencial de satisfazer nas necessidades criadas pela mudança de estilos de vida. Por isso, quando um idoso se dedica a cuidar da terra, das plantas e das flores, ele sente uma melhora em sua autoestima e pode ensinar outras pessoas a fazer um belo jardim ou uma horta e plantar frutas e verduras.

O contato com a natureza e a realização de exercícios ao ar livre contribuem para que a melhor idade renove a energia, dando alívio ao estresse e a tensão do dia a dia. E com a primavera chegando no dia 23 de setembro, a natureza ficará ainda mais bela, presenteando o ser humano com flores coloridas e perfumadas.

Quem realmente quiser apostar na jardinagem, as flores mais indicadas são: rosa, girassol, margaridinha, orquídea, jasmim, hortênsia, helicônia, alamanda, clívia, gérbera, hibisco, gazânia, jasmim-estrela, lágrima-de-cristo, boca-de-leão, crisântemo, frésia, estefânia, narciso, violeta, dedaleira e dama-da-noite.

Cada uma com seu cuidado especial, é claro!

Dia Nacional Ao Combate do Colesterol

Você sabia que no dia 08 de agosto é comemorado o Dia Nacional ao Combate do Colesterol? Considerado como a principal causa de infarto agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral (derrame) isquêmico nos idosos, por apresentar muita gordura no organismo, o dia para o alerta da prevenção deve ser visto como essencial.

Estar ciente de que o alto índice de colesterol no corpo faz mal e pode levar a uma série de doenças e problemas fazem com que os adultos e principalmente a terceira idade mude alguns hábitos alimentares para preservar a saúde.

Dia Nacional ao Combate do Colesterol

Segundos nutricionistas, a atenção fica no perigo de vários alimentos, em especial o consumo de carnes muito gordurosas, como carne de porco e linguiças, mas também queijo amarelo, biscoitos, pizzas, salgados e comidas fritas. Troque tudo isso por peixes, que são excelentes para ajudar no controle do colesterol.

Vale ressaltar ainda que o colesterol é usado para a produção de vitamina D, hormônios, e ácido biliar, ajudando na digestão de quem consume muita gordura. E apesar de ser conhecido como o vilão de doenças cardíacas, o colesterol na taxa certa é necessário para o bom funcionamento do corpo humano, mas lembre-se: Não exagere e sempre faça exames de controle.

Mas o que posso comer para manter o colesterol estabilizado?

Sempre procure comer mais frutas, vegetais e cereais integrais, pois eles são ricos em fibras e substâncias antioxidantes. Além disso, alimentos que contém ômega 3 influenciam muito no fortalecimento dos ossos, peixes marinhos como atum, salmão, entre outros, contém essa substância.

Reduza a quantidade de sal colocada nos temperos, bem como na hora de temperar salada e carnes. Evite alimentos com alta taxa de gordura, como gema de ovo, fígado, frituras, carnes gordas e laticínios integrais.

Opte por uma vida saudável. Pratique exercícios, coma bem e com toda certeza o seu colesterol não será um problema quando a melhor idade chegar.

Não deixe que o Alzheimer tome conta da sua vida

Não deixe que o Alzheimer tome conta da sua vida

Sabemos que o Alzheimer é uma doença genética que passa de pais para filhos, porém não é necessariamente desenvolvida em todos os pacientes. E por mais que ela seja uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, na maioria dos casos em pessoas idosas, existe tratamento que ajuda na prevenção. Quem sofre de ‘esclerose’ ou ‘caduquice’, como é conhecida em muitas regiões, deve colocar em prática alguns cuidados. Sendo eles descritos da seguinte forma:

1. Estimular o cérebro
O cérebro, sendo exercitado diariamente, reduz o risco de desenvolver o Alzheimer. Que tal conhecer diferentes línguas, ou aprender a tocar algum instrumento? Treinar a memória, decorando listas de compra ou afazeres do dia a dia é um ótimo exercício. Alternativas como fazer jogos de estratégia e raciocínio, como palavras cruzadas, sudoku e puzzle ajudam também. E vale lembrar que, sempre que possível, leia livros, jornais e revistas.

2. Praticar exercício físico regularmente
Fazer exercício pode reduzir 50% a chance de desenvolver a doença, por conta disso, é essencial realizar 30 minutos de atividade física entre 3 a 5 vezes na semana. Dentre algumas atividades recomendadas estão: Tênis, natação, dança, praticar jogos em equipes, etc.

3. Insira uma dieta rica em vegetais e peixes
Alimentos ricos em vegetais, peixes e frutas ajudam a nutrir o cérebro, impedindo problemas graves, como a demência. Além do Alzheimer, essa dieta mais conhecida como dieta mediterrânea evita problemas cardíacos.

4. Tenha uma boa noite de sono
Dormir bem é essencial para manter uma vida saudável. Pois, além de melhorar o rendimento, o sono durante oito horas diárias ajuda a regular o funcionamento do cérebro, prevenindo o surgimento do esquecimento.

Manter sua cabeça ativa e uma boa vida social permite, pelo menos, retardar a manifestação da doença. Previne-se!

Cuidando da apatia em idosos

Certas doenças nos idosos, como Alzheimer e depressão, podem trazer um tipo de sintoma, de comportamento que incomoda muito os familiares, os cuidadores e os profissionais de saúde: A APATIA. Em certas ocasiões, até pode parecer propícia, pois, o idoso está quieto, não atrapalha e nem incomoda. Mas com o passar do tempo, a indiferença e a apatia geram um grande estresse em quem cuida.

O que fazer:

– Observe se o idoso participa de atividades sociais e familiares. Levar para caminhar se ele puder, visitar família ou chamar os familiares para visitar sua casa ajuda a iluminar o dia-a-dia do idoso.

– Procure fazer coisas que o idoso gosta e não que você possa gostar!

– Evite infantilizar o idoso, com joguinhos e brinquedos próprios para as crianças.

– Também estar ciente de que alguns idosos perdem o interesse em fazer determinadas atividades, porque eles já não conseguem fazê-las de maneira correta e se frustram. Por exemplo, uma idosa que cozinhava muito bem e que agora se esquece como preparar e de como lidar com os ingredientes. Quem sabe se você, familiar, animá-la e ajudá-la no preparo de um prato gostoso?

Cuidando dos penteados: A higiene com o couro cabeludo

O cuidado com os cabelos não pode parar com a idade. Afinal, as ações de pentear e escovar estimulam a circulação do couro cabeludo, removem células mortas e resíduos, e distribuem os óleos do cabelo para produzir uma aparência saudável. O uso de xampus remove sujeiras e óleos antigos, ajudando a prevenir a ocorrência de irritações de pele.

Porém, a freqüência utilizada no cuidado dos cabelos dependerá do comprimento e também da textura do cabelo do idoso, da duração da hospitalização e da condição do mesmo. Em geral, os cabelos devem ser penteados e escovados diariamente, recebendo tratamento com xampu de acordo com a rotina normal. No entanto, atenção, não deve decorrer mais de uma semana, ou talvez duas, entre as lavagens.

A lavagem com xampu é contra-indicada para pacientes com craniotomia recente, fratura do crânio com afundamento, condições que requeiram monitoramento da pressão intracraniana e outros envolvimentos do crânio.

Mais resistentes que muitos jovens

É assim que muitos idosos se sentem. Em uma pesquisa do IBGE, hoje no país existem 26,3 milhões de idosos, representando 13% da população. A expectativa é que esse percentual aumente e que em 2060 chegue a 34%, segundo o IBGE.

Se hoje, os idosos são representados por uma figura curvada, apoiada em bengala, o que a população com 60 anos ou mais enxerga é totalmente diferente. Com maior expectativa de vida, os idosos de hoje representam uma geração que se mantém ativa mesmo na velhice.

O IBGE constatou também que o aumento do índice da qualidade de vida é atribuído a uma melhoria na saúde e na condição material dos idosos.

“A sociedade tem visão estereotipada do idoso, com doenças, que consomem recursos da saúde. Que a velhice significa doença e não fazer nada”, constata o presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, João Bastos Freire Neto. “É importante dizer que é uma pequena parcela da população idosa que está nessa condição, não é a maioria dos idosos”, acrescenta.

Uma boa qualidade de vida na juventude, cuidados com a alimentação e a pratica de exercícios ajudam a ter uma velhice mais saudável. Além do que se pode prevenir, principalmente com os avanços da medicina.

Hoje o idoso é retratado como uma pessoa dependente. Isso não é mais verdade. É claro que há uma perda de vitalidade, mas o idoso hoje vive mais, está mais saudável, ativo e produtivo. O país está em processo de envelhecimento e levantar essas questões é uma forma de começar a conscientização da sociedade.

 

 

Atividades leves e prazerosas! Como trazer benefícios para a terceira idade?

Alguém ainda acha que com a velhice chegando a vida precisa ficar mais parada, sem atividades?

Nada disso! Hoje, a terceira idade pratica atividades com muito mais frequência que antigamente. Realizar tarefas simples e prazerosas no dia a dia ajuda a melhorar a autoestima do idoso e contribui para o aumento da capacidade.

Por isso, se ocupar de maneiras diferentes e leves, como práticas ocupacionais, é excelente para a chegada dessa idade.  Estudos revelam que a pintura em tela, por exemplo, atua na coordenação motora das pessoas, na capacidade de organização e serve como recurso terapêutico! Não é incrível?

Além de ser relativamente fácil e prazeroso! Não é necessário ser nenhum artista ou pintor profissional para começar a pintar. Pegar o pincel, uma tela em branco e criar já traz todos os benefícios necessitados!

Os canais sensoriais também são ativados durante a prática da pintura. Com isso, ajuda a equilibrar as emoções e soltar a imaginação e pensamentos.

Aliás, especialistas afirmam que pintar é muito interessante para todas as faixas etárias, porém na terceira idade, como requer concentração, pintar aprimora a capacidade de observação, prestar atenção em mínimos detalhes da tela. Consequentemente ajuda a ativar a memória!

Uma outra opção divertida, prazerosa e leve é a dança! Uma pesquisa realizadas na Itália mostrou que a prática possui inúmeros benefícios para a saúde do coração, além de aumentar a capacidade respiratória e consequentemente melhorar a qualidade de vida do dançarino!

Mais uma vantagem da dança é que ela ajuda a manter o cérebro em plena atividade, melhorando a coordenação motora e a concentração, pois eleva a circulação cerebral em áreas adormecidas.

Isso porque esses estímulos aumentam as conexões neuronais, proporcionando ao idoso maiores habilidades no aprendizado, raciocínio e na memória. Mediante a isso, reduz o estresse e a ansiedade.

Ajuda a elevar a autoestima e afastar os sintomas da depressão e contribui para um melhor condicionamento físico e mental. A explicação para isso é que através da atividade o cérebro libera serotonina, uma substância que traz a sensação de alívio e melhora o humor e o sono.

E você ainda está aí parado? Pesquise, teste e se encontre na atividade que te faz se sentir bem!

Depois é só se inscrever em algum curso e aproveitar os benefícios da terceira idade!

Cuidados pós 40

Todos nós sabemos que com o passar dos anos os cuidados com a saúde tem que aumentar, ainda mais quando chegam os 40 anos, aumentam os riscos de doenças, especialmente as cardiovasculares. Por isso, é importante conhecer a história da família para saber se não há fatores genéticos que podem elevar as chances de complicações – essa informação pode ajudar no diagnóstico precoce de doenças, como hipertensão, obesidade, diabetes e até mesmo câncer.
Em relação à alimentação, é importante que ela seja equilibrada e saudável ao longo de toda a vida; porém, aos 50 anos, os cuidados devem ser ainda maiores. A dica é incluir na dieta peixes, que são boas fontes de cálcio, ferro e vitamina B 12; castanhas, que ajudam a controlar o colesterol; e suco de uva, que têm ‘resveratrol’, substância que pode garantir maior longevidade.

Já aos 60 anos, os cuidados deve ser, além da alimentação, com a vacinação. A vacina pneumocócica, contra pneumonia, deve ser tomada nessa idade. A partir dessa idade e por volta dos 70 anos, é importante investir nos exercícios com peso, mesmo que a pessoa nunca os tenha feito. Isso ajuda a fortalecer a musculatura, que pode funcionar como uma poderosa proteção para os ossos e também contra quedas.
Depois dos 80 anos, começam as preocupações com a saúde mental e o cérebro. Nesse caso, a dica é estimular sempre a memória e aprender algo novo, atitudes que podem ser importantes na prevenção do Mal de Alzheimer, por exemplo. Por isso, é essencial manter a mente ativa e estimular o cérebro com cada vez mais novas informações. Ler mais

Idosos são o grupo que mais cresce no Facebook

É muito comum associar o uso da internet e principalmente das redes sociais ao público mais jovem. Adolescentes começam a utilizar essas plataformas para manter contato com os amigos, conhecer outras pessoas e ficarem antenados em tudo o que está acontecendo pelo mundo. Porém, o Centro de Pesquisas Pew revelou por meio de um estudo que o cenário atual não é exatamente esse.

Segundo a pesquisa, os idosos estão sendo os grandes responsáveis pelo crescimento e popularização do Facebook, já que no último ano, o público com mais de 65 anos foi o que mais aderiu a essa rede. Mais de 70% dos usuários da internet nos Estados Unidos têm um perfil no Facebook, o que representa um acréscimo de 4% em relação ao ano anterior, 2012.
Porém, os grandes responsáveis por esses números, sem dúvida, são os idosos de mais de 65 anos, que estão gostando cada vez mais da plataforma criada por Zuckerberg! O acréscimo entre essas pessoas foi de 10%, e mais de 40% dos internautas da terceira idade possuem uma conta no Facebook.

É interessante fazer uma comparação de dados, já que enquanto a população da terceira idade aumenta nessa rede social, o número de jovens está diminuindo, segundo essa mesma pesquisa. A redução foi de 2% de usuários de 2012 para 2013, na faixa etária que vai de 18 a 29 anos. Analisando um período de tempo maior, de 2011 a 2014, o resultado é surpreendente: o Facebook perdeu aproximadamente 11 milhões de seu público mais jovem.
Isso tudo revela os novos hábitos da sociedade norte-americana, que também podem ser estendidos para outros países.

Percebe-se a presença de uma terceira idade mais ativa no mundo online, idosos que estão realmente se beneficiando de todas as vantagens oferecidas pela internet. Por outro lado, jovens buscam se “desintoxicar” desse excesso de mídias que recebem, sobretudo a internet.

Também é uma prova de que os idosos estão tendo acesso a aparatos tecnológicos e querem estar ativos. Agora os jovens já podem interagir com os seus avós por meio de uma das redes sociais mais populares no mundo! Ler mais

A idade traz sabedoria

Quem nunca ouviu dizer que a idade traz sabedoria e que, por isso, ouvir os mais velhos e aceitar seus conselhos sempre é a melhor opção? Pois é, o que antes era apenas um senso comum, agora já está cientificamente comprovado. As pessoas mais velhas conseguem administrar melhor os conflitos aos quais se encontram submetidas, por isso, conseguem resolvê-los de forma melhor.

O estudo é da Universidade de Michigan e concluiu que quem é mais velho é mais capaz de aceitar pontos de vista diferentes, de entender que também existem diferenças nos valores das pessoas e de reconhecer incertezas. Comparados com jovens e adultos de meia idade, os mais velhos se sobressaem no poder de aceitar com tranquilidade o fato de que as coisas mudam.

A pesquisa envolveu uma fase em que pessoas de diversas idades deram seu posicionamento a respeito de um conflito entre dois países, nessa atividade, os mais velhos demonstraram mais sensatez do que os mais jovens. Ao longo da vida, os indivíduos acumulam informações e chegam a conclusões a respeito de seus conhecimentos cognitivos. É assim que conseguem utilizar o que sabem para resolver conflitos e ajudar os outros.

Inclusive, há estudiosos que entendem essa sabedoria também como uma forma de encontrar sentido na vida durante a velhice. Muitos idosos acabam tendo limitações físicas que os impedem de estar constantemente ativos, nesse caso, a sabedoria é um elemento fundamental. As pessoas sábias são também mais tolerantes e flexíveis, de modo que tudo isso contribui com a aceitação dos obstáculos que surgem no curso da vida.

No entanto, aceitação não significa resignação, ou seja, não quer dizer que os mais velhos simplesmente se conformam o que aconteceu e acontece. Pelo contrário, eles tendem realmente a entender e a crescer por meio de cada dificuldade encontrada no percurso. Conseguem tirar proveito dos seus problemas para resolver questões futuras, ou para aconselhar outras pessoas. Ler mais

Angeluz – Hotel e Residência para Idosos Rua Antônio Abdo, 200 – Taveirópolis (em frente à Praça Elias Gadia)
Tel.: (67) 3331-0155
hotelresidenciaangeluz@hotmail.com

2014 © - Angeluz - Todos os direitos reservados.