Bem-estar

Cuidados pós 40

Todos nós sabemos que com o passar dos anos os cuidados com a saúde tem que aumentar, ainda mais quando chegam os 40 anos, aumentam os riscos de doenças, especialmente as cardiovasculares. Por isso, é importante conhecer a história da família para saber se não há fatores genéticos que podem elevar as chances de complicações – essa informação pode ajudar no diagnóstico precoce de doenças, como hipertensão, obesidade, diabetes e até mesmo câncer.
Em relação à alimentação, é importante que ela seja equilibrada e saudável ao longo de toda a vida; porém, aos 50 anos, os cuidados devem ser ainda maiores. A dica é incluir na dieta peixes, que são boas fontes de cálcio, ferro e vitamina B 12; castanhas, que ajudam a controlar o colesterol; e suco de uva, que têm ‘resveratrol’, substância que pode garantir maior longevidade.

Já aos 60 anos, os cuidados deve ser, além da alimentação, com a vacinação. A vacina pneumocócica, contra pneumonia, deve ser tomada nessa idade. A partir dessa idade e por volta dos 70 anos, é importante investir nos exercícios com peso, mesmo que a pessoa nunca os tenha feito. Isso ajuda a fortalecer a musculatura, que pode funcionar como uma poderosa proteção para os ossos e também contra quedas.
Depois dos 80 anos, começam as preocupações com a saúde mental e o cérebro. Nesse caso, a dica é estimular sempre a memória e aprender algo novo, atitudes que podem ser importantes na prevenção do Mal de Alzheimer, por exemplo. Por isso, é essencial manter a mente ativa e estimular o cérebro com cada vez mais novas informações. Ler mais

Atividade Física pode triplicar a chance de envelhecer bem

Um dos sonhos da grande maioria das pessoas é envelhecer bem e com saúde, para que possa continuar levando uma vida completamente normal mesmo na terceira idade. Até então, não se sabia exatamente o que fazer para atingir esse objetivo, porém, um estudo divulgado recentemente trouxe uma resposta a esse problema!

Cientistas da Inglaterra comprovaram por meio de estudos que a prática regular de atividades físicas pode aumentar três vezes a chance de se envelhecer bem. O estudo foi feito minuciosamente e durante um longo período de tempo: oito anos. Nesse intervalo, os estudiosos acompanharam o cotidiano de 3.500 indivíduos com idades de, em média, 64 anos.

A conclusão foi que aquelas pessoas observadas que praticavam atividades físicas constantemente, em um ritmo moderado ou intenso, tiveram maiores chances de envelhecer em forma do que os indivíduos sedentários, ou seja, que não se exercitavam. Essa foi mais uma pesquisa a comprovar os benefícios da prática de exercícios físicos para o organismo.

E as pessoas que não se exercitaram, ou seja, que não envelheceram em forma desenvolveram problemas como alguma doença crônica, depressão ou déficit cognitivo. Os cientistas também demonstraram que, quem quer deixar o sedentarismo mesmo após uma idade já avançada, ainda terá a oportunidade de trazer benefícios para a saúde.

Além da prática constante de atividades físicas, outros fatores também foram levados em consideração pelos pesquisadores, como o consumo de álcool, o tabagismo, a situação financeira e o estado civil, elementos que podem ter influências diretas sobre o desenvolvimento das pessoas. Ler mais

Tai chi chuan na terceira idade

 

 Ao processo de envelhecimento estão associadas perdas sociais, cognitivas, neuromotoras e metabólicas capazes de comprometer seriamente a qualidade de vida do indivíduo idoso, levando-o à perda de autonomia e à dependência física, psicológica e econômica, com relação à família e à sociedade.

Já está bem estabelecido que a prática regular de atividade física contribui para o envelhecimento saudável e aumento da expectativa de vida. Exercícios físicos praticados regularmente inibem alterações orgânicas que se associam ao processo degenerativo, contribuem para a reabilitação de determinadas patologias que podem aumentar os índices de morbidade e mortalidade, agindo também sobre a saúde mental e a eficácia cognitiva.

Por esta razão, têm sido criadas estratégias de ações com o propósito de estimular os idosos a aderirem à prática regular de atividade física.

O Tai Chi Chuan é uma modalidade de Ginástica Chinesa que, depois da musculação, é a de maior aderência entre os praticantes idosos12 e tem sido citado como capaz de incrementar nesta população ganhos de condicionamento físico, força e equilíbrio, ajudando também na prevenção de quedas.

Força muscular

Os idosos praticantes de Tai Chi Chuan apresentaram menor perda da força nos membros superiores durante o teste de preensão manual. O desempenho manual manteve significância mesmo quando um grupo de praticantes de Tai Chi Chuan foi comparado com outras modalidades tradicionais. Melhoras significativas também foram verificadas para a força dos músculos extensores e flexores dos joelhos de praticantes de Tai Chi Chuan em relação a grupo controle e para o pico de torque extensor do joelho, no protocolo concêntrico e excêntrico, reforçando a teoria de que o treinamento de Tai Chi Chuan em idosos pode aumentar a força e a resistência muscular dos extensores dos joelhos.

Equilíbrio e quedas

 O Tai Chi Chuan leva a ganho em força, coordenação e flexibilidade, resultando em menor incidência de quedas em pessoas idosas.

Entretanto, o treinamento isolado de equilíbrio não mostrou reduzir o risco de quedas, enquanto intervenção focalizando múltiplos fatores de risco produziu proteção significativa contra quedas. Este achado sugere que o benefício do Tai Chi Chuan envolve outros mecanismos, além da simples melhora no equilíbrio, dentre eles a redução do medo de queda, o treinamento dos reflexos neuromusculares, o fortalecimento dos grupos musculares associados, a diminuição das oscilações e a melhora da flexibilidade.

 

Ossos fortes

Para que as atividades físicas não prejudiquem o corpo, o praticante não pode deixar que falte cálcio em sua dieta. Ele é o principal mineral que atua na formação de massa óssea, é também essencial para a coagulação do sangue e ainda tem um papel especial na contração e no relaxamento muscular, prevenindo câimbras.

Na mulher a concentração de cálcio é mais baixa, devido a aspectos naturais. Atenção! Depois de uma gravidez a carência deste mineral pode aumentar.

O cálcio pode ser encontrado em alimentos como: brócolis, couve, repolho, amêndoas, peixes, e principalmente, em leite e seus derivados. De acordo com a Pirâmide Alimentar Brasileira, para se obter a quantidade necessária de cálcio, é preciso a ingestão de 3 copos de leite por dia.

Exercícios físicos melhoram a fixação de cálcio nos ossos, e para praticá-los a pessoa precisa de ossos fortes e músculos flexíveis, por isso a importância de aliar as duas coisas.

Angeluz – Hotel e Residência para Idosos Rua Antônio Abdo, 200 – Taveirópolis (em frente à Praça Elias Gadia)
Tel.: (67) 3331-0155
hotelresidenciaangeluz@hotmail.com

2014 © - Angeluz - Todos os direitos reservados.