Geral

Doe seu troco para a Angeluz

Estamos participando do Troco Solidário, projeto criado pelos hipermercados Comper, com intenção de ajudar instituições da cidade.

Com poucos centavos, você ajudar a manter o sorriso de nossos idosos com Parkinson e Mal de Alzheimer. Participe.

Troco Solidário

Mais resistentes que muitos jovens

É assim que muitos idosos se sentem. Em uma pesquisa do IBGE, hoje no país existem 26,3 milhões de idosos, representando 13% da população. A expectativa é que esse percentual aumente e que em 2060 chegue a 34%, segundo o IBGE.

Se hoje, os idosos são representados por uma figura curvada, apoiada em bengala, o que a população com 60 anos ou mais enxerga é totalmente diferente. Com maior expectativa de vida, os idosos de hoje representam uma geração que se mantém ativa mesmo na velhice.

O IBGE constatou também que o aumento do índice da qualidade de vida é atribuído a uma melhoria na saúde e na condição material dos idosos.

“A sociedade tem visão estereotipada do idoso, com doenças, que consomem recursos da saúde. Que a velhice significa doença e não fazer nada”, constata o presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, João Bastos Freire Neto. “É importante dizer que é uma pequena parcela da população idosa que está nessa condição, não é a maioria dos idosos”, acrescenta.

Uma boa qualidade de vida na juventude, cuidados com a alimentação e a pratica de exercícios ajudam a ter uma velhice mais saudável. Além do que se pode prevenir, principalmente com os avanços da medicina.

Hoje o idoso é retratado como uma pessoa dependente. Isso não é mais verdade. É claro que há uma perda de vitalidade, mas o idoso hoje vive mais, está mais saudável, ativo e produtivo. O país está em processo de envelhecimento e levantar essas questões é uma forma de começar a conscientização da sociedade.

 

 

Idosos são o grupo que mais cresce no Facebook

É muito comum associar o uso da internet e principalmente das redes sociais ao público mais jovem. Adolescentes começam a utilizar essas plataformas para manter contato com os amigos, conhecer outras pessoas e ficarem antenados em tudo o que está acontecendo pelo mundo. Porém, o Centro de Pesquisas Pew revelou por meio de um estudo que o cenário atual não é exatamente esse.

Segundo a pesquisa, os idosos estão sendo os grandes responsáveis pelo crescimento e popularização do Facebook, já que no último ano, o público com mais de 65 anos foi o que mais aderiu a essa rede. Mais de 70% dos usuários da internet nos Estados Unidos têm um perfil no Facebook, o que representa um acréscimo de 4% em relação ao ano anterior, 2012.
Porém, os grandes responsáveis por esses números, sem dúvida, são os idosos de mais de 65 anos, que estão gostando cada vez mais da plataforma criada por Zuckerberg! O acréscimo entre essas pessoas foi de 10%, e mais de 40% dos internautas da terceira idade possuem uma conta no Facebook.

É interessante fazer uma comparação de dados, já que enquanto a população da terceira idade aumenta nessa rede social, o número de jovens está diminuindo, segundo essa mesma pesquisa. A redução foi de 2% de usuários de 2012 para 2013, na faixa etária que vai de 18 a 29 anos. Analisando um período de tempo maior, de 2011 a 2014, o resultado é surpreendente: o Facebook perdeu aproximadamente 11 milhões de seu público mais jovem.
Isso tudo revela os novos hábitos da sociedade norte-americana, que também podem ser estendidos para outros países.

Percebe-se a presença de uma terceira idade mais ativa no mundo online, idosos que estão realmente se beneficiando de todas as vantagens oferecidas pela internet. Por outro lado, jovens buscam se “desintoxicar” desse excesso de mídias que recebem, sobretudo a internet.

Também é uma prova de que os idosos estão tendo acesso a aparatos tecnológicos e querem estar ativos. Agora os jovens já podem interagir com os seus avós por meio de uma das redes sociais mais populares no mundo! Ler mais

A idade traz sabedoria

Quem nunca ouviu dizer que a idade traz sabedoria e que, por isso, ouvir os mais velhos e aceitar seus conselhos sempre é a melhor opção? Pois é, o que antes era apenas um senso comum, agora já está cientificamente comprovado. As pessoas mais velhas conseguem administrar melhor os conflitos aos quais se encontram submetidas, por isso, conseguem resolvê-los de forma melhor.

O estudo é da Universidade de Michigan e concluiu que quem é mais velho é mais capaz de aceitar pontos de vista diferentes, de entender que também existem diferenças nos valores das pessoas e de reconhecer incertezas. Comparados com jovens e adultos de meia idade, os mais velhos se sobressaem no poder de aceitar com tranquilidade o fato de que as coisas mudam.

A pesquisa envolveu uma fase em que pessoas de diversas idades deram seu posicionamento a respeito de um conflito entre dois países, nessa atividade, os mais velhos demonstraram mais sensatez do que os mais jovens. Ao longo da vida, os indivíduos acumulam informações e chegam a conclusões a respeito de seus conhecimentos cognitivos. É assim que conseguem utilizar o que sabem para resolver conflitos e ajudar os outros.

Inclusive, há estudiosos que entendem essa sabedoria também como uma forma de encontrar sentido na vida durante a velhice. Muitos idosos acabam tendo limitações físicas que os impedem de estar constantemente ativos, nesse caso, a sabedoria é um elemento fundamental. As pessoas sábias são também mais tolerantes e flexíveis, de modo que tudo isso contribui com a aceitação dos obstáculos que surgem no curso da vida.

No entanto, aceitação não significa resignação, ou seja, não quer dizer que os mais velhos simplesmente se conformam o que aconteceu e acontece. Pelo contrário, eles tendem realmente a entender e a crescer por meio de cada dificuldade encontrada no percurso. Conseguem tirar proveito dos seus problemas para resolver questões futuras, ou para aconselhar outras pessoas. Ler mais

Um Exemplo de Vida

Um homem de 84 anos do condado de Palm Beach, no norte de Miami, alcançou o peculiar recorde de doar mais de 455 litros de sangue durante sua vida.

O idoso, chamado Harold Mendenhall – que confessa ter medo de agulhas – é doador desde 1977 e, desde então, não deixou de comparecer aos centros de doação de sangue e plaquetas. Fez isso mais de 400 vezes durante sua vida, a mais recente no último dia 22 de maio.

Aparentemente, o idoso é um personagem popular nos banco de doação de sangue da cidade, onde costumam dizer que sua generosidade salvou centenas de vidas humanas. Os 455 litros de sangue doados por Mendenhall equivaleriam a encher as prateleiras superiores de dez refrigeradores ou os tanques de gasolina de oito carros.

O idoso começou a doar sangue no dia 7 de julho de 1977, quando diagnosticaram em sua mulher, Frankie, um câncer de mama, que acabou sendo a causa de sua morte sete anos depois.

Apesar da dolorosa perda de sua esposa e, posteriormente, de dois de seus filhos, Mendenhall continuou doando sangue durante todos estes anos. “Por alguma razão ainda estou aqui e estou agradecido. Essa é uma das razões pelas quais continuo doando sangue”, declarou.

Fonte: http://coisadevelho.com.br/

Angeluz – Hotel e Residência para Idosos Rua Antônio Abdo, 200 – Taveirópolis (em frente à Praça Elias Gadia)
Tel.: (67) 3331-0155
hotelresidenciaangeluz@hotmail.com

2014 © - Angeluz - Todos os direitos reservados.