Nutrição

Conheça os melhores cereais matinais para os idosos

Incluir os cereais matinais na alimentação é uma opção nutritiva para todas as idades. Porém, uma dica essencial é optar sempre pelas versões integrais e com pouco açúcar. Elas possuem vitaminas do complexo B, fundamentais para o metabolismo de lipídeos, proteínas e carboidratos, e vitamina E, que conta com ação antioxidante e assim combate os radicais livres.

O ferro, substância que atua na síntese das células vermelhas do sangue, o fósforo, mineral que age no metabolismo auxiliando na ativação das vitaminas do complexo B, o zinco, importante para a ação de diversas enzimas, o magnésio, que contribui para a saúde dos ossos, e o selênio, nutriente bom para a memória, também estão presentes nos cereais.

Além de todos esses nutrientes, os cereais integrais se destacam pelas boas quantidades de fibras alimentares. Elas são importantes para a saúde da pessoa de forma geral, proporciona saciedade e contribui para o controle do colesterol e dos níveis de açúcar no sangue.

Ao escolher o cereal, é importante ficar atento a algumas questões. “Preste atenção na lista de ingredientes que compõe o produto, aquele item que aparecer em primeiro lugar, significa que estará em maior quantidade. Quanto mais natural o cereal for, melhor. Dê preferência para farinha de trigo integral, flocos de aveia, farelo de aveia e de trigo, mueslis e granolas saudáveis”, orienta a nutricionista Keli Coutinho.

Quem sofre com alergia ou intolerância ao glúten deve evitar cereais com trigo ou centeio. A aveia também não deve ser consumida, pois ela é contaminada pelo glúten quando é processada. Quem tem esses problemas alimentarem pode optar por flocos de milho, flocos de arroz e também incluir a chia e a linhaça.

As pessoas precisam consumir cerca de 4 a 5 porções de cereais por dia em uma dieta equilibrada. Assim, a orientação para todos os grupos pode ser ingerir cerca de uma xícara de cereal por dia, desde que ela entre na quantidade de porções recomendadas por dia. Além dessas observações gerais, cada idade possui suas necessidades e cuidados específicos.

Para idosos – Os idosos podem ter maior dificuldade de mastigar, portanto, é interessante optar por um cereal em pedaços menores. O alimento pode ser consumido com um shake ou uma vitamina para facilitar o consumo.

Caso queira adicionar leite no cereal, procure aqueles com redução de lactose ou a versões vegetais. “Boa parte dos idosos tem uma diminuição da mucosa intestinal e é lá que é produzida a lactase, enzima que ajuda a digerir a lactose”, explica Navarro. É bom que os idosos evitem o excesso de fibras, pois isto pode fazer com que a absorção de cálcio e zinco diminuam.

Via

Cuidados pós 40

Todos nós sabemos que com o passar dos anos os cuidados com a saúde tem que aumentar, ainda mais quando chegam os 40 anos, aumentam os riscos de doenças, especialmente as cardiovasculares. Por isso, é importante conhecer a história da família para saber se não há fatores genéticos que podem elevar as chances de complicações – essa informação pode ajudar no diagnóstico precoce de doenças, como hipertensão, obesidade, diabetes e até mesmo câncer.
Em relação à alimentação, é importante que ela seja equilibrada e saudável ao longo de toda a vida; porém, aos 50 anos, os cuidados devem ser ainda maiores. A dica é incluir na dieta peixes, que são boas fontes de cálcio, ferro e vitamina B 12; castanhas, que ajudam a controlar o colesterol; e suco de uva, que têm ‘resveratrol’, substância que pode garantir maior longevidade.

Já aos 60 anos, os cuidados deve ser, além da alimentação, com a vacinação. A vacina pneumocócica, contra pneumonia, deve ser tomada nessa idade. A partir dessa idade e por volta dos 70 anos, é importante investir nos exercícios com peso, mesmo que a pessoa nunca os tenha feito. Isso ajuda a fortalecer a musculatura, que pode funcionar como uma poderosa proteção para os ossos e também contra quedas.
Depois dos 80 anos, começam as preocupações com a saúde mental e o cérebro. Nesse caso, a dica é estimular sempre a memória e aprender algo novo, atitudes que podem ser importantes na prevenção do Mal de Alzheimer, por exemplo. Por isso, é essencial manter a mente ativa e estimular o cérebro com cada vez mais novas informações. Ler mais

Alimentação e Envelhecimento

As indústrias de cosméticos e as cirurgias plásticas tentam há anos retardar o processo de envelhecimento e o resultado nem sempre é confiável. Desta vez, cientistas da Escola de Medicina de Monte Sinai, em Israel, se debruçaram sobre a causa e descobriram que a dieta da pessoa pode ajudar a produzir efeitos protetores contra o envelhecimento e contra doenças.

O estudo, conduzido pelo professor de Neurociência, Geriatria e Medicina Paliativa de Monte Sinai, Charles Mobbs, mostra como a restrição dietética e a alta ingestão calórica influencia nas respostas bioquímicas.

Segundo o estudo, uma dieta de baixa ingestão calórica retarda o desenvolvimento de algumas condições ligadas à velhice, como o mal de Alzheimer, assim como o próprio processo de envelhecimento. Como é feita a restrição calórica – se há privação de gordura, proteínas ou carboidratos – não parece importar.

– Não é uma questão de contar calorias ou de cortar determinados nutrientes, mas sim, como uma baixa ingestão de calorias impacta no metabolismo e interfere no estresse oxidativo. Uma dieta com alta ingestão calórica também vai acelerar o processo de envelhecimento – explica Mobbs.

Segundo o especialista, a chave da juventude está em achar o equilíbrio.

- Uma restrição de 10% poderá ser extremamente benéfica enquanto que uma de 80% poderá ser prejudicial – diz Mobbs.
Segundo o estudo, a redução ideal seria de 30% no total de calorias ingeridas diariamente.

Café causa dor de cabeça?

Esse assunto sempre rende muita discussão. Geralmente, a confusão começa com a dificuldade de estabelecer se o café é realmente o estopim da dor de cabeça ou se as pessoas que sentem o incômodo a veem como válvula de escape. “Para esclarecer a dúvida, diminua aos pouco a ingestão de cafeína, até tirá-la da dieta”, recomenda a pesquisadora Adriana Farah, da UFRJ, em entrevista à revista SAÚDE. Lembre-se de que alguns chás e refrigerantes também carregam a substância. Daí, se a dor não sumir, procure um médico.

Mas saiba que em alguns casos, a cafeína é a salvação. Prova disso é a presença da substância na fórmula de analgésicos. “Algumas cefaleias são caracterizadas pela vasodilatação cerebral. Por deixar os vasos mais estreitos, a cafeína pode atuar como coadjuvante no tratamento”, completa a especialista.

(Com reportagem da revista SAÚDE)

Por que o açúcar acelera o envelhecimento?

Os viciados em doces precisam saber: o açúcar destrói as fibras de sustentação da pele. “O açúcar estimula a glicação – processo bioquímico que resulta na formação da AGES (produtos de glicação avançada)”, diz Aliane Tagliari, nutricionista de Curitiba. A partis disso começam os estragos: “Os AGES se ligam ao colágeno e à elastina (proteínas que dão estrutura à pele) e provocam um emaranhado entre essas fibras, culminando em rugas de flacidez.”

Mas a culpa não é só do açúcar. Um cardápio rico em comidas à base de farinha refinada – ou seja, de IG alto – e carnes tostadas (churrasco bem passado, por exemplo) também aumentam os AGES. Para escapar dessa armadilha, siga uma dieta de IG baixo e com itens antiglicantes (alho, cebola, romã), além de optar por alimentos frescos. E, claro, reduza o açúcar.

Fonte: Revista BOA FORMA.

Arroz integral

A presença de fibras, proteínas, magnésio e algumas vitaminas tornam o arroz integral um alimento especialmente importante para aqueles que buscam o emagrecimento. Ele pode auxiliar na sensação de saciedade, redução do colesterol, da glicose sanguínea, da ansiedade e da depressão. Obviamente, isso só será alcançado quando o arroz fizer parte de uma alimentação individualmente equilibrada e rotineira.

Agora resta a pergunta: como essa casquinha, que parece tão insignificante, consegue resultados tão surpreendentes?

A resposta está no seu teor de fibras. Quanto maior seu valor, menor é a quantidade de glicose e lipídios absorvidos. Esses fatores são importantes para evitar a deposição de gordura intra-abdominal. É que as fibras formam uma espécie de goma quando entram em contato com a água e, assim, tornam a digestão mais lenta, fazendo com que o açúcar proveniente dos alimentos seja assimilado aos poucos. Se não fosse dessa forma, aumentaria a produção de insulina, hormônio responsável por mandar a glicose para dentro das células. Só que, em excesso, ele infla os pneus da barriga e, ainda, abre caminho para o diabete.

Consumo de frutas

O ideal é que seja consumido de 3 a 4 porções de frutas por dia (in natura ou como sucos naturais). Essas frutas podem estar no café da manhã, almoço e jantar, ou ainda, nos intervalos entre as refeições. As frutas in natura contêm mais fibras do que os sucos.

1 porção de fruta, equivale a:

- 2 laranjas limas;
– 2 fatias de abacaxi;
– 1/2 mamão papaia;
– 1 banana pequena;
– 2 pêssegos pequenos;
– 10 moranguinhos;
– 1 goiaba grande;
– 1 pedaço de melancia (250g);
– 1 pedaço de melão (200g).

Fonte: Equipe Portal Nutrição.

Angeluz – Hotel e Residência para Idosos Rua Antônio Abdo, 200 – Taveirópolis (em frente à Praça Elias Gadia)
Tel.: (67) 3331-0155
hotelresidenciaangeluz@hotmail.com

2014 © - Angeluz - Todos os direitos reservados.