Bem-estar

Jardinagem: Uma excelente prática para evitar doenças

Jardinagem

Por mais que a grande maioria das pessoas ainda afirme que o envelhecimento é uma fonte de impactos negativos à saúde, os idosos podem reverter esse quadro com muita sabedoria, cuidados e exercícios. E aproveitar o mês de setembro e a chegada da primavera pode ser um grande passo para quem deseja se ocupar.

Que tal experimentar a jardinagem? Essa prática contribui não só para o bem-estar, mas também sobre o aprendizado com a terra, plantas e flores, o que acaba proporcionando, automaticamente, a sensação de paz e tranquilidade. E isso na melhor idade é essencial.

De acordo com alguns terapeutas ocupacionais, a jardinagem para os idosos previne doenças como depressão, ajuda no combate à inércia e na diminuição de várias dores, principalmente na coluna.

E já que os idosos vivem em uma época onde gozam mais o tempo de lazer, a jardinagem tem um potencial de satisfazer nas necessidades criadas pela mudança de estilos de vida. Por isso, quando um idoso se dedica a cuidar da terra, das plantas e das flores, ele sente uma melhora em sua autoestima e pode ensinar outras pessoas a fazer um belo jardim ou uma horta e plantar frutas e verduras.

O contato com a natureza e a realização de exercícios ao ar livre contribuem para que a melhor idade renove a energia, dando alívio ao estresse e a tensão do dia a dia. E com a primavera chegando no dia 23 de setembro, a natureza ficará ainda mais bela, presenteando o ser humano com flores coloridas e perfumadas.

Quem realmente quiser apostar na jardinagem, as flores mais indicadas são: rosa, girassol, margaridinha, orquídea, jasmim, hortênsia, helicônia, alamanda, clívia, gérbera, hibisco, gazânia, jasmim-estrela, lágrima-de-cristo, boca-de-leão, crisântemo, frésia, estefânia, narciso, violeta, dedaleira e dama-da-noite.

Cada uma com seu cuidado especial, é claro!

Dia Nacional Ao Combate do Colesterol

Você sabia que no dia 08 de agosto é comemorado o Dia Nacional ao Combate do Colesterol? Considerado como a principal causa de infarto agudo do miocárdio e de acidente vascular cerebral (derrame) isquêmico nos idosos, por apresentar muita gordura no organismo, o dia para o alerta da prevenção deve ser visto como essencial.

Estar ciente de que o alto índice de colesterol no corpo faz mal e pode levar a uma série de doenças e problemas fazem com que os adultos e principalmente a terceira idade mude alguns hábitos alimentares para preservar a saúde.

Dia Nacional ao Combate do Colesterol

Segundos nutricionistas, a atenção fica no perigo de vários alimentos, em especial o consumo de carnes muito gordurosas, como carne de porco e linguiças, mas também queijo amarelo, biscoitos, pizzas, salgados e comidas fritas. Troque tudo isso por peixes, que são excelentes para ajudar no controle do colesterol.

Vale ressaltar ainda que o colesterol é usado para a produção de vitamina D, hormônios, e ácido biliar, ajudando na digestão de quem consume muita gordura. E apesar de ser conhecido como o vilão de doenças cardíacas, o colesterol na taxa certa é necessário para o bom funcionamento do corpo humano, mas lembre-se: Não exagere e sempre faça exames de controle.

Mas o que posso comer para manter o colesterol estabilizado?

Sempre procure comer mais frutas, vegetais e cereais integrais, pois eles são ricos em fibras e substâncias antioxidantes. Além disso, alimentos que contém ômega 3 influenciam muito no fortalecimento dos ossos, peixes marinhos como atum, salmão, entre outros, contém essa substância.

Reduza a quantidade de sal colocada nos temperos, bem como na hora de temperar salada e carnes. Evite alimentos com alta taxa de gordura, como gema de ovo, fígado, frituras, carnes gordas e laticínios integrais.

Opte por uma vida saudável. Pratique exercícios, coma bem e com toda certeza o seu colesterol não será um problema quando a melhor idade chegar.

Não deixe que o Alzheimer tome conta da sua vida

Não deixe que o Alzheimer tome conta da sua vida

Sabemos que o Alzheimer é uma doença genética que passa de pais para filhos, porém não é necessariamente desenvolvida em todos os pacientes. E por mais que ela seja uma enfermidade incurável que se agrava ao longo do tempo, na maioria dos casos em pessoas idosas, existe tratamento que ajuda na prevenção. Quem sofre de ‘esclerose’ ou ‘caduquice’, como é conhecida em muitas regiões, deve colocar em prática alguns cuidados. Sendo eles descritos da seguinte forma:

1. Estimular o cérebro
O cérebro, sendo exercitado diariamente, reduz o risco de desenvolver o Alzheimer. Que tal conhecer diferentes línguas, ou aprender a tocar algum instrumento? Treinar a memória, decorando listas de compra ou afazeres do dia a dia é um ótimo exercício. Alternativas como fazer jogos de estratégia e raciocínio, como palavras cruzadas, sudoku e puzzle ajudam também. E vale lembrar que, sempre que possível, leia livros, jornais e revistas.

2. Praticar exercício físico regularmente
Fazer exercício pode reduzir 50% a chance de desenvolver a doença, por conta disso, é essencial realizar 30 minutos de atividade física entre 3 a 5 vezes na semana. Dentre algumas atividades recomendadas estão: Tênis, natação, dança, praticar jogos em equipes, etc.

3. Insira uma dieta rica em vegetais e peixes
Alimentos ricos em vegetais, peixes e frutas ajudam a nutrir o cérebro, impedindo problemas graves, como a demência. Além do Alzheimer, essa dieta mais conhecida como dieta mediterrânea evita problemas cardíacos.

4. Tenha uma boa noite de sono
Dormir bem é essencial para manter uma vida saudável. Pois, além de melhorar o rendimento, o sono durante oito horas diárias ajuda a regular o funcionamento do cérebro, prevenindo o surgimento do esquecimento.

Manter sua cabeça ativa e uma boa vida social permite, pelo menos, retardar a manifestação da doença. Previne-se!

Cuidando dos penteados: A higiene com o couro cabeludo

O cuidado com os cabelos não pode parar com a idade. Afinal, as ações de pentear e escovar estimulam a circulação do couro cabeludo, removem células mortas e resíduos, e distribuem os óleos do cabelo para produzir uma aparência saudável. O uso de xampus remove sujeiras e óleos antigos, ajudando a prevenir a ocorrência de irritações de pele.

Porém, a freqüência utilizada no cuidado dos cabelos dependerá do comprimento e também da textura do cabelo do idoso, da duração da hospitalização e da condição do mesmo. Em geral, os cabelos devem ser penteados e escovados diariamente, recebendo tratamento com xampu de acordo com a rotina normal. No entanto, atenção, não deve decorrer mais de uma semana, ou talvez duas, entre as lavagens.

A lavagem com xampu é contra-indicada para pacientes com craniotomia recente, fratura do crânio com afundamento, condições que requeiram monitoramento da pressão intracraniana e outros envolvimentos do crânio.

Cuidados pós 40

Todos nós sabemos que com o passar dos anos os cuidados com a saúde tem que aumentar, ainda mais quando chegam os 40 anos, aumentam os riscos de doenças, especialmente as cardiovasculares. Por isso, é importante conhecer a história da família para saber se não há fatores genéticos que podem elevar as chances de complicações – essa informação pode ajudar no diagnóstico precoce de doenças, como hipertensão, obesidade, diabetes e até mesmo câncer.
Em relação à alimentação, é importante que ela seja equilibrada e saudável ao longo de toda a vida; porém, aos 50 anos, os cuidados devem ser ainda maiores. A dica é incluir na dieta peixes, que são boas fontes de cálcio, ferro e vitamina B 12; castanhas, que ajudam a controlar o colesterol; e suco de uva, que têm ‘resveratrol’, substância que pode garantir maior longevidade.

Já aos 60 anos, os cuidados deve ser, além da alimentação, com a vacinação. A vacina pneumocócica, contra pneumonia, deve ser tomada nessa idade. A partir dessa idade e por volta dos 70 anos, é importante investir nos exercícios com peso, mesmo que a pessoa nunca os tenha feito. Isso ajuda a fortalecer a musculatura, que pode funcionar como uma poderosa proteção para os ossos e também contra quedas.
Depois dos 80 anos, começam as preocupações com a saúde mental e o cérebro. Nesse caso, a dica é estimular sempre a memória e aprender algo novo, atitudes que podem ser importantes na prevenção do Mal de Alzheimer, por exemplo. Por isso, é essencial manter a mente ativa e estimular o cérebro com cada vez mais novas informações. Ler mais

A idade traz sabedoria

Quem nunca ouviu dizer que a idade traz sabedoria e que, por isso, ouvir os mais velhos e aceitar seus conselhos sempre é a melhor opção? Pois é, o que antes era apenas um senso comum, agora já está cientificamente comprovado. As pessoas mais velhas conseguem administrar melhor os conflitos aos quais se encontram submetidas, por isso, conseguem resolvê-los de forma melhor.

O estudo é da Universidade de Michigan e concluiu que quem é mais velho é mais capaz de aceitar pontos de vista diferentes, de entender que também existem diferenças nos valores das pessoas e de reconhecer incertezas. Comparados com jovens e adultos de meia idade, os mais velhos se sobressaem no poder de aceitar com tranquilidade o fato de que as coisas mudam.

A pesquisa envolveu uma fase em que pessoas de diversas idades deram seu posicionamento a respeito de um conflito entre dois países, nessa atividade, os mais velhos demonstraram mais sensatez do que os mais jovens. Ao longo da vida, os indivíduos acumulam informações e chegam a conclusões a respeito de seus conhecimentos cognitivos. É assim que conseguem utilizar o que sabem para resolver conflitos e ajudar os outros.

Inclusive, há estudiosos que entendem essa sabedoria também como uma forma de encontrar sentido na vida durante a velhice. Muitos idosos acabam tendo limitações físicas que os impedem de estar constantemente ativos, nesse caso, a sabedoria é um elemento fundamental. As pessoas sábias são também mais tolerantes e flexíveis, de modo que tudo isso contribui com a aceitação dos obstáculos que surgem no curso da vida.

No entanto, aceitação não significa resignação, ou seja, não quer dizer que os mais velhos simplesmente se conformam o que aconteceu e acontece. Pelo contrário, eles tendem realmente a entender e a crescer por meio de cada dificuldade encontrada no percurso. Conseguem tirar proveito dos seus problemas para resolver questões futuras, ou para aconselhar outras pessoas. Ler mais

Atividade Física pode triplicar a chance de envelhecer bem

Um dos sonhos da grande maioria das pessoas é envelhecer bem e com saúde, para que possa continuar levando uma vida completamente normal mesmo na terceira idade. Até então, não se sabia exatamente o que fazer para atingir esse objetivo, porém, um estudo divulgado recentemente trouxe uma resposta a esse problema!

Cientistas da Inglaterra comprovaram por meio de estudos que a prática regular de atividades físicas pode aumentar três vezes a chance de se envelhecer bem. O estudo foi feito minuciosamente e durante um longo período de tempo: oito anos. Nesse intervalo, os estudiosos acompanharam o cotidiano de 3.500 indivíduos com idades de, em média, 64 anos.

A conclusão foi que aquelas pessoas observadas que praticavam atividades físicas constantemente, em um ritmo moderado ou intenso, tiveram maiores chances de envelhecer em forma do que os indivíduos sedentários, ou seja, que não se exercitavam. Essa foi mais uma pesquisa a comprovar os benefícios da prática de exercícios físicos para o organismo.

E as pessoas que não se exercitaram, ou seja, que não envelheceram em forma desenvolveram problemas como alguma doença crônica, depressão ou déficit cognitivo. Os cientistas também demonstraram que, quem quer deixar o sedentarismo mesmo após uma idade já avançada, ainda terá a oportunidade de trazer benefícios para a saúde.

Além da prática constante de atividades físicas, outros fatores também foram levados em consideração pelos pesquisadores, como o consumo de álcool, o tabagismo, a situação financeira e o estado civil, elementos que podem ter influências diretas sobre o desenvolvimento das pessoas. Ler mais

Alimentação e Envelhecimento

As indústrias de cosméticos e as cirurgias plásticas tentam há anos retardar o processo de envelhecimento e o resultado nem sempre é confiável. Desta vez, cientistas da Escola de Medicina de Monte Sinai, em Israel, se debruçaram sobre a causa e descobriram que a dieta da pessoa pode ajudar a produzir efeitos protetores contra o envelhecimento e contra doenças.

O estudo, conduzido pelo professor de Neurociência, Geriatria e Medicina Paliativa de Monte Sinai, Charles Mobbs, mostra como a restrição dietética e a alta ingestão calórica influencia nas respostas bioquímicas.

Segundo o estudo, uma dieta de baixa ingestão calórica retarda o desenvolvimento de algumas condições ligadas à velhice, como o mal de Alzheimer, assim como o próprio processo de envelhecimento. Como é feita a restrição calórica – se há privação de gordura, proteínas ou carboidratos – não parece importar.

– Não é uma questão de contar calorias ou de cortar determinados nutrientes, mas sim, como uma baixa ingestão de calorias impacta no metabolismo e interfere no estresse oxidativo. Uma dieta com alta ingestão calórica também vai acelerar o processo de envelhecimento – explica Mobbs.

Segundo o especialista, a chave da juventude está em achar o equilíbrio.

- Uma restrição de 10% poderá ser extremamente benéfica enquanto que uma de 80% poderá ser prejudicial – diz Mobbs.
Segundo o estudo, a redução ideal seria de 30% no total de calorias ingeridas diariamente.

Tai chi chuan na terceira idade

 

 Ao processo de envelhecimento estão associadas perdas sociais, cognitivas, neuromotoras e metabólicas capazes de comprometer seriamente a qualidade de vida do indivíduo idoso, levando-o à perda de autonomia e à dependência física, psicológica e econômica, com relação à família e à sociedade.

Já está bem estabelecido que a prática regular de atividade física contribui para o envelhecimento saudável e aumento da expectativa de vida. Exercícios físicos praticados regularmente inibem alterações orgânicas que se associam ao processo degenerativo, contribuem para a reabilitação de determinadas patologias que podem aumentar os índices de morbidade e mortalidade, agindo também sobre a saúde mental e a eficácia cognitiva.

Por esta razão, têm sido criadas estratégias de ações com o propósito de estimular os idosos a aderirem à prática regular de atividade física.

O Tai Chi Chuan é uma modalidade de Ginástica Chinesa que, depois da musculação, é a de maior aderência entre os praticantes idosos12 e tem sido citado como capaz de incrementar nesta população ganhos de condicionamento físico, força e equilíbrio, ajudando também na prevenção de quedas.

Força muscular

Os idosos praticantes de Tai Chi Chuan apresentaram menor perda da força nos membros superiores durante o teste de preensão manual. O desempenho manual manteve significância mesmo quando um grupo de praticantes de Tai Chi Chuan foi comparado com outras modalidades tradicionais. Melhoras significativas também foram verificadas para a força dos músculos extensores e flexores dos joelhos de praticantes de Tai Chi Chuan em relação a grupo controle e para o pico de torque extensor do joelho, no protocolo concêntrico e excêntrico, reforçando a teoria de que o treinamento de Tai Chi Chuan em idosos pode aumentar a força e a resistência muscular dos extensores dos joelhos.

Equilíbrio e quedas

 O Tai Chi Chuan leva a ganho em força, coordenação e flexibilidade, resultando em menor incidência de quedas em pessoas idosas.

Entretanto, o treinamento isolado de equilíbrio não mostrou reduzir o risco de quedas, enquanto intervenção focalizando múltiplos fatores de risco produziu proteção significativa contra quedas. Este achado sugere que o benefício do Tai Chi Chuan envolve outros mecanismos, além da simples melhora no equilíbrio, dentre eles a redução do medo de queda, o treinamento dos reflexos neuromusculares, o fortalecimento dos grupos musculares associados, a diminuição das oscilações e a melhora da flexibilidade.

 

Um Exemplo de Vida

Um homem de 84 anos do condado de Palm Beach, no norte de Miami, alcançou o peculiar recorde de doar mais de 455 litros de sangue durante sua vida.

O idoso, chamado Harold Mendenhall – que confessa ter medo de agulhas – é doador desde 1977 e, desde então, não deixou de comparecer aos centros de doação de sangue e plaquetas. Fez isso mais de 400 vezes durante sua vida, a mais recente no último dia 22 de maio.

Aparentemente, o idoso é um personagem popular nos banco de doação de sangue da cidade, onde costumam dizer que sua generosidade salvou centenas de vidas humanas. Os 455 litros de sangue doados por Mendenhall equivaleriam a encher as prateleiras superiores de dez refrigeradores ou os tanques de gasolina de oito carros.

O idoso começou a doar sangue no dia 7 de julho de 1977, quando diagnosticaram em sua mulher, Frankie, um câncer de mama, que acabou sendo a causa de sua morte sete anos depois.

Apesar da dolorosa perda de sua esposa e, posteriormente, de dois de seus filhos, Mendenhall continuou doando sangue durante todos estes anos. “Por alguma razão ainda estou aqui e estou agradecido. Essa é uma das razões pelas quais continuo doando sangue”, declarou.

Fonte: http://coisadevelho.com.br/

Angeluz – Hotel e Residência para Idosos Rua Antônio Abdo, 200 – Taveirópolis (em frente à Praça Elias Gadia)
Tel.: (67) 3331-0155
hotelresidenciaangeluz@hotmail.com

2014 © - Angeluz - Todos os direitos reservados.